Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TELHADELA

Perspectivas e considerações

TELHADELA

Perspectivas e considerações

25º Aniversário do G.R.C. de Telhadela

 

  Segunda-feira 18 de Agosto de 2008. O grupo Recreativo e Cultural de Telhadela comemorou nesta data o seu 25º aniversário, foi descerrada na sede uma placa que contém os nomes dos sócios fundadores do Grupo, justa homenagem da actual direcção presidida por António Tavares aos fundadores da colectividade.

  Realce para a sentida homenagem póstuma prestada a Leonardo Pereira, antigo presidente do Grupo e a César Almeida, mentor e ensaiador das famosas marchas de Telhadela.

  A comemoração contou com a presença do presidente do Município de Albergaria-a-Velha, Prof. João Agostinho, acompanhado pelo vereador da cultura, Dr. Licínio Pimenta.

  As outras colectividades existentes na freguesia não deixaram de se associar a esta efeméride. O Rancho Folclórico da Ribeira de Fráguas iniciou a tarde de festa com uma ligeira actuação no futuro pavilhão desportivo (em construção) Mais tarde no salão da sede actuaram a CEDIARA com o seu Grupo Coral e o Grupo Desportivo e Cultural da Ribeira de Fráguas com a sua orquestra ligeira.

  Neste ano que comemora os seus 25 anos o Grupo teve quem sabe a sua melhor prenda, pois foi campeão distrital de futsal em infantis.

 

Parabéns por tudo.

Sabia que...

   No dia 21 de Julho de 1776, faleceu Manoel Pirez, provavelmente seria o capelão responsável pela liturgia da capela de Telhadela.
O certo é que neste fatídico dia, o ,dito padre caiu de uma ponte rudimentar, ponte esta composta por um esteio feito de pedras situado no meio do rio e dois troncos e que existiu até meados do Séc. XX, entre o Baião e o Souto, junto ao actual moinho do Souto.
Veja-mos o seu assento de óbito:

«Telhadella

O Reverendo padre Manoel Pirez

  Aos vinte e hum dias do mês de Julho de mil setecentos setentta e seis faleceo o Reverendo Manoel Pirez que vindo passando huma ponte de dous harcos que está no rio de Telhadella ao carreiro e caminho que vem de Vilarinho para o dito lugar de Telhadella cahio pellas oras que se rezão as Avé-Marias da noite e dahi a ora e meia pouco mais ou menos passou por causa da dita queda a sem sentidos e não se lhe deu o Sacramento da extrema unção e foi sepultado dentro desta Igreja em o dia seguinte ao pôr do sol de que fiz este assento está em verdade era ut supra.»
 
 
Livros Paroquiais da Ribeira de Fráguas, livro 11